SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

O PODER DA ARTE: CONHEÇA O PINTOR NORUEGUÊS EDVARD MUNCH

A arte tem o poder de embelezar nosso cotidiano. Para Schopenhauer as obras de arte eram um dos elementos estéticos capazes de suprimir momentaneamente o nosso estado de dor. Edvard Munch foi um pintor escandinavo e suas obras são marcadas pelas intensas sensações que podem nos causar, sendo considerado assim, um precursor do expressionismo.

Edvard Munch foi um pintor norueguês, nascido em Oslo no ano de 1863. Suas obras inspiraram uma corrente artística moderna, sendo considerado o precursor do expressionismo alemão.

Teve uma vida familiar muito conturbada, pois sua mãe e uma irmã morreram quando ele ainda era jovem. Outra irmã tinha problemas mentais (bipolaridade). Seu pai tinha uma vida marcada pelo fanatismo religioso. Para complicar, Munch ficou muito doente durante a infância. Já adulto, começou a apresentar um quadro psicológico conturbado e conflituoso, alguns estudiosos afirmam que o pintor, provavelmente, possuía transtorno bipolar.

Abordava temas relacionados aos sentimentos e tragédias humanas (angústia, morte, depressão, saudade). Além disso, retratava pinturas de imagens desfiguradas, passando uma sensação de angústia e desespero, pela forte expressividade no rosto das personagens retratadas.

Melancolia (1892)

A primeira obra aqui exposta, já retrata bem a sensação de angústia e o ambiente pesado que tanto marcaram as pinturas do autor. Em "Melancolia" aparece um homem só com o olhar entristecido visando o mar. As cores do ambiente, se contrapõe ao ambiente vibrante que comumente um litoral seria reproduzido. Com isso, a obra de arte é reflexo direto do mundo interior do artista expressionista, projetando na sua obra de arte uma reflexão individual e subjetiva.

O grito (1893)

Obra mais famosa do pintor norueguês e um dos marcos maiores do Expressionismo. Em o grito o desespero e a angústia tomam enormes proporções. Detalhe curioso dessa obra é que ela retrata um personagem andrógeno, em uma situação de desespero e angústia existencial. O ambiente retratado é a doca de Oslofjord ao pôr do Sol, onde o pintor costumava realizar suas caminhadas.

Amor e dor (1894)

Também conhecido como "Vampira", na cena um homem é consolado por uma mulher de cabelos vermelhos. Pelo fato da mulher ser ruiva, realça e ilumina a escuridão do ambiente que acaba por envolver o homem, tornando o abraço em uma mordida que acaba a se entregar para a "vampira".

A menina doente (1895)

Tragédias familiares estiveram presentes durante a juventude de Edvard Munch. Perdera ainda na adolescência sua mãe e irmã, por isso quadros retratando pessoas doentes e moribundas foram comuns, tal como "Morte no quarto da doente". Em "A menina doente" é retratado em um ambiente dramático o período anterior ao falecimento de sua irmã Johanne Sophie de 11 anos, ao lado da mãe que morrera poucos anos depois.

Ciúme (1895)

Obra que ilustra uma narrativa que conta a história de um triângulo amoroso envolvendo o próprio Munch que competia com seu amigo Strindberg por uma garota sueca. Ambos tinha ciúmes um do outro e nessa obra Munch é retratado com ciúme da interação no plano de fundo entre seu amigo e a garota sueca.



© obvious: http://obviousmag.org/do_ser/2016/o-poder-da-arte-conheca-o-pintor-noruegues-edvard-munch.html#ixzz3yurowdoi

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...