SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

domingo, 19 de fevereiro de 2017

"NÃO AGRADE OS INGRATOS, NEM SIRVA AOS FOLGADOS!"


"Precisamos parar de tentar agradar aos ingratos, de servir gente folgada, de nutrir amizades duvidosas, para que possamos percorrer somente os encontros verdadeiros.

Passamos muito tempo fazendo a coisa certa para as pessoas erradas, sofrendo as consequências das péssimas escolhas pelo caminho, sofrendo à toa por coisas inúteis e gente sem conteúdo, alimentando vãs esperanças em relação ao que não tem a menor chance de vir a acontecer.

Perdemos muito tempo investindo no vazio, esperando retorno do que não volta, aguardando sorrisos de quem nem nos olha direito. É preciso focar no que é real, pois, mesmo que não haja muito de verdadeiro nesses terrenos, esse pouco bastará.



Precisamos parar de tentar agradar aos ingratos, às pessoas descontentes e incapazes de receber algo de fora. Existem indivíduos que se encontram por demais fechados ao acolhimento do que não se encontra dentro deles, do que não faz parte daquele mundinho em que eles se fecham, presos a crenças e sentimentos que não mudam, não são repensados, não saem do lugar. Tentar alcançá-los é inútil.

É necessário evitar a servidão aos folgados, aos aproveitadores, a quem não sai do lugar por si só, a quem foge a qualquer tipo de responsabilidade, pois sabe que alguém sempre fará por ele.

Temos que ter clareza quanto ao que realmente devemos e poderemos tomar para nós, ou acumularemos cargas de bagagens que não são, nem de longe, relacionadas às nossas vidas. Muita gente precisa de ajuda, sim, mas muitos precisam é de vergonha na cara.

Não podemos nutrir amizades duvidosas, com pessoas que não expressam a menor necessidade de nós, como se tanto nossa presença quanto nossa ausência fossem a mesma coisa, algo sem importância, invisível, dispensável.

Nem todos de quem gostamos irão gostar de nós, o retorno da estima e da afeição nunca é uma certeza, portanto, há necessidade de que adentremos exclusivamente os encontros verdadeiros.

Não é fácil nem tranquilo conseguirmos acertar quanto ao que poderemos regar com a certeza de retorno e reciprocidade, uma vez que as pessoas, os acontecimentos, a vida, tudo é imprevisível.

Embora muito do que acontecerá em nossas vidas não possa ser controlado, mantermos sob controle nossas verdades e a certeza de que merecemos ser felizes nos tornará mais fortes diante dos tombos, sem que desistamos de nossos sonhos."

Fonte:https://osegredo.com.br/2016/11/nao-agrade-os-ingratos-nem-sirva-aos-folgados/

Hoje,ontem,amanhã é dia de festa e alegria, quando Maria Júlia está perto!


Hoje é dia de festa e alegria! Sua filha, ainda tão pequenina, já trouxe tantas alegrias para a vida da família, que nem somos capazes de imaginar quanto amor ainda vem pela frente. Cada dia é uma descoberta, cada dia é uma surpresa e um recomeço.

A vida é realmente um bem muito precioso, um milagre, uma dádiva. Parabéns por essa linda criança que cresce e embeleza o mundo, e pelos pais maravilhosos que têm sido.

Desejo toda a felicidade que Deus possa dar a pequenina Maria Júlia, que ela tenha sempre muita saúde, muito amor, paz e cresça aprendendo todo ensinamento do Senhor. 


Parabéns por este primeiro ano de vida!
Felicidade Thiago e Ana, e também aos seus queridos avós!
Beijos, Aline Carla Rodrigues.

Pensamento do dia:todo ser que respira louve ao Senhor!


Salmos 150

1 Aleluia! Louvem a Deus no seu santuário, louvem-no no seu poderoso firmamento.

2 Louvem-no pelos seus feitos poderosos, louvem-no segundo a imensidão de sua grandeza!

3 Louvem-no ao som de trombeta, louvem-no com a lira e a harpa,

4 louvem-no com tamborins e danças, louvem-no com instrumentos de cordas e com flautas,

5 louvem-no com címbalos sonoros, louvem-no com címbalos ressonantes.

6 Tudo o que tem vida louve o Senhor! Aleluia!


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Maiúsculas e minúsculas


Maiúsculas e minúsculas

Use maiúsculas nos seguintes casos:
  • Conceitos políticos importantes – Constituição, Estado (significando uma nação), Federação, União, República, Império, Poder Executivo, Legislativo, Judiciário, Justiça, Direito, Igreja. Obs.: Vão em minúsculas governo federal, governo estadual e governo municipal.
  • Instituições, órgãos e unidades administrativas – Presidência da República, Supremo Tribunal Federal, Câmara dos Deputados, Senado Federal, Assembléia Legislativa, Ministério da Ciência e Tecnologia, Exército, Forças Armadas, Casa Civil, Prefeitura de Recife (mas escreva em minúsculas se o termo não acompanhar o nome: "a prefeitura determinou..."), Estado de São Paulo (mas escreva em minúsculas se o termo não acompanhar o nome: "o estado é produtor de café...").
  • Nomes de datas, feriados, eventos históricos ou festas religiosas e populares – Primeiro de Maio, Dia do Trabalho, Natal, Dia de Reis, Círio de Nazaré, Guerra da Bósnia.
  • Títulos de obras e eventos – "A RNP e a Educação no Brasil", "Manual de Implementação do Serviço NTP", "Seminário de Capacitação Interna".
  • Regiões e marcos geográficos – Ocidente e Oriente (como conceitos geopolíticos), Hemisférios Sul e Norte (idem), Regiões Norte, Sul, Sudeste, Nordeste, Centro-Oeste etc. (idem), Chapada Diamantina, Norte Fluminense, Vale do Ribeira, Pólo Norte. Use inicial minúscula, porém, para designações como interior, exterior, litoral, litoral sul, zona leste, zona sul, etc.
  • Período histórico consagrado ou geológico – Idade Média, Peleolítico, Era do Gelo. Em minúsculas, porém, quando não se configurar uma era histórica: era espacial, era nuclear, era industrial, idade das trevas.
  • Leis, normas e tributos quando constituírem nome próprio ou forem consagradas por sua importância – Lei de Informática, Lei de Diretrizes e Bases, Plano Diretor, Lei Afonso Arinos, Imposto de Renda. No entanto, se a lei for conhecida apenas por seu número, use minúscula: lei nº 8.248, decreto nº 3.800, portaria nº 739.
  • Prêmios e distinções – Prêmio Nobel de Economia, Ordem do Cruzeiro do Sul, Medalha Pedro Ernesto, Prêmio Príncipe das Astúrias.
  • Ramos do conhecimento humano, quando tomados em sua dimensão mais ampla – Ética, Filosofia, Medicina, Português, Matemática, Computação, Arte, Cultura. Se não houver necessidade de relevo especial, use minúsculas: "estuda português", "gosta muito de matemática", "formou-se em agronomia".
  • Nomes de vias, lugares públicos e acidentes geográficos – Rio Amazonas, Avenida Brasil, Pão de Açúcar, Parque do Ibirapuera, Oceano Atlântico, Pico da Neblina.
  • Títulos, formas de tratamento e suas abreviações – Dom (D.), Vossa Excelência (V. Exa.), Doutor (Dr.), Senhor (Sr.).
  • Siglas - ABNT, RNP , UFRJ, PUC, MCT, CGEE (Exceções: PoP, QoS, CNPq, CPqD, UnB).
  • Acrônimos (siglas que formam palavras) com até três letras - ONU, RAU, MEC. A partir de quatro letras, use minúsculas - Banerj, Unicef.
Continuará com inicial maiúscula a palavra que servir para designar o nome de dois ou mais órgãos, empresas, entidades, leis, normas econômicas ou políticas, corporações, repartições, prêmios, feiras, edifícios, monumentos, estabelecimentos, estádios, ginásios, ruas, vias, regiões, acidentes geográficos, etc.: os Ministérios da Economia e da Justiça, as Federações da Indústria e do Comércio, as Leis Falcão e Fleury, os Impostos Predial e de Renda, os Planos Cruzado e Real, os Colégios Objetivo e Arquidiocesano, os Prêmios Eldorado e Molière, os Aeroportos de Cumbica e Congonhas, os Edifícios Itália e Copan, os Cines Ipiranga e Marabá, os Estádios do Pacaembu e do Morumbi, os Palácios do Planalto e da Alvorada, os Atos Institucionais n.º 2 e n.º 5, as Torres Eiffel e do Tombo, as Igrejas da Candelária e da Consolação, as Copas União e Brasil, as Baixadas Santista e Fluminense, as Regiões Sudeste e Nordeste, os Vales do Paraíba, do Ribeira e do Jequitinhonha, os Campeonatos Paulista e Gaúcho, as Ruas Augusta e Direita, as Avenidas Paulista e Ipiranga, os Parques do Ibirapuera e do Carmo, as Marginais do Pinheiros e do Tietê, as Rodovias Castelo Branco e Fernão Dias, as Baías de Guanabara e de Paranaguá, os Picos do Jaraguá e da Neblina, os Rios Tocantins e Xingu.

Use minúsculas nos seguintes casos:

Temer sanciona a lei que estabelece a reforma do ensino médio


"Presidente da República, Michel Temer, sancionou nesta quinta-feira (16), em cerimônia no Palácio do Planalto, a lei que estabelece a reforma do ensino médio.

Por ter sido enviada ao Congresso por meio de uma medida provisória, a reforma tem força de lei desde a publicação no Diário Oficial, em setembro do ano passado. No entanto, ainda não vai ser colocada em prática. Isso porque a aplicação do novo modelo ainda depende da definição da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que está sendo elaborada e deve ser homologada em 2017.

A reforma do ensino médio é considerada pelo governo como uma das mais importantes da gestão de Temer.

Em discurso, o ministro Mendonça Filho defendeu que a discussão acerca da reforma não começou no governo Temer, mas estendeu-se há 20 anos no Congresso Nacional. Segundo o ministro, faltava “vontade política” para dar seguimento à tramitação da “maior e mais importante reforma estrutural básica” do país.

“Não há discussão que se inaugurou, essa discussão remonta há 20 anos. Somente entre comissão especial e o início de tramitação de projeto, completa-se, nesse ano, cinco anos. Não existia vontade política de fazê-la passar. O quadro bastante crítico do ensino médio no Brasil compromete vida de jovens”, afirmou.

Ao falar após o ministro Mendonça Filho, o presidente Michel Temer afirmou que a implementação da reforma do ensino médio é fruto de coragem e ousadia por parte do governo.


“É interessante salientar que nos dias atuais mais do que coragem para governar, é preciso ousadia. Por isso que cumprimento a ousadia do ministro da educação ao dizer vamos fazer por meio de uma MP porque essa matéria está sendo debatida há mais de 20 anos no Congresso Nacional”, disse.


Temer afirmou que algumas das propostas enviados pelo governo ao Congresso, como a reforma do ensino médio, têm suscitado polêmica. Mas, segundo ele, são polêmicas "saudáveis".

“Temos mandado propostas que têm tido muita polêmica, e uma saudável polêmica, porque vivemos em um estado democrático. E no estado democrático o que mais se deve fazer é polemizar, porque a polêmica gera aperfeiçoamento”, ressaltou.
Veja os principais pontos da reforma:

O texto aprovado permite que as escolas possam escolher como vão ocupar 40% da carga horária dos três anos do ensino médio: 60% será composto de um conteúdo mínimo obrigatório, que será pela Base Nacional Curricular Comum (BNCC), ainda em debate. Já o restante do tempo será definido de acordo com a proposta da escola, que deverá oferecer aos estudantes pelo menos um de cinco "itinerários formativos":

  • linguagens e suas tecnologias
  • matemática e suas tecnologias
  • ciências da natureza e suas tecnologias
  • ciências humanas e sociais aplicadas
  • formação técnica e profissional
O ensino de português e de matemática será obrigatório nos três anos do ensino médio. Também será compulsório o ensino de inglês, artes, educação física, filosofia e sociologia.

Na versão original enviada pelo governo, a MP deixava claro que somente matemática e português seriam obrigatórios.
Isso gerou a principal polêmica em torno do texto. No Brasil, não existe uma lei que especifica todas as disciplinas que deveriam obrigatoriamente ser ensinadas na escola– esse documento será a BNCC.

Até então, a Lei de Diretrizes e Bases (LDB) só citava explicitamente, em trechos diversos, as disciplinas de português, matemática, artes, educação física, filosofia e sociologia como obrigatórias nos três anos do ensino médio.


Na versão original enviada pelo governo, a MP mudou isso, e retirou do texto as disciplinas de artes, educação física, filosofia e sociologia.


Desde que foi apresentada pelo governo, em setembro, a reforma se tornou alvo de protestos pelo país. Nos últimos meses de 2016, estudantes chegaram a ocupar escolas para se manifestar contra a MP.

Tempo integral

Outro objetivo da reforma é incentivar o aumento da carga horária para cumprir a meta 6 do Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê que, até 2024, 50% das escolas e 25% das matrículas na educação básica (incluindo os ensinos infantil, fundamental e médio) estejam no ensino de tempo integral.

No ensino médio, a carga deve agora ser ampliada progressivamente até atingir 1,4 mil horas anuais. Atualmente, o total é de 800 horas por ano, de acordo com o MEC. No texto final, os senadores incluíram uma meta intermediária: no prazo máximo de 5 anos, todas as escolas de ensino médio do Brasil devem ter carga horária anual de pelo menos mil horas. Não há previsão de sanções para gestores que não cumprirem a meta."

Fonte:G1

Viva cultura!

video



Sombras e luzes





LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...