SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Pensamento do dia:sabedoria


Para os que têm discernimento, são todas claras, e retas para os que têm conhecimento.
Prefiram a minha instrução à prata, e o conhecimento ao ouro puro,
pois a sabedoria é mais preciosa do que rubis; nada do que vocês possam desejar compara-se a ela.
"Eu, a sabedoria, moro com a prudência, e tenho o conhecimento que vem do bom senso."
Provérbios 8:9-12

Veja como fazer o texto dissertativo-argumentativo, e 10 modelos de Redação nota mil


Entenda as características do texto dissertativo-argumentativo. Com as dicas desta aula você tem mais chances para uma nota máxima na prova de Redação do Vestibular ou do Enem. Veja os Modelos de Redação nota 1000, e a estrutura do texto: Introdução, Desenvolvimento, e Conclusão.

Dá medo fazer uma Redação Enem ou Vestibular com o texto dissertativo argumentativo? – Espante este mistério aqui e agora. Veja como chegar lá, e veja os modelos de Redação Enem nota 1000.

Os enunciados de Redação Enem ou vestibular Enem deixam sempre claro o que se pede. Na maioria dos casos você precisa escrever um texto dissertativo-argumentativo apresentando um ponto de vista e uma argumentação sobre a problemática do Tema, e concluir com uma proposta clara de intervenção ou de sugestão. O Enem exige ainda considerar uma perspectiva de Direitos Humanos.
Como explica o manual da prova de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o formato exigido na prova de redação Enem é o de uma dissertação-argumentativa.

Esse gênero textual exige que o estudante construa e defenda seu ponto de vista. Você deve propor uma tese inicial e apresentar argumentos que sustentem o seu principal ponto de vista na Redação Enem. Em seguida, apresentar uma proposta de intervenção considerando a perspectiva dos Direitos Humanos. Os elementos centrais para você estruturar o texto são Introdução, Desenvolvimento, e Conclusão.

O 1º passo para uma Redação Enem nota mil:

Primeiramente, leia o tema e os textos motivadores. Interpretação de Texto é o fundamento para você ‘ler e entender’ o enunciado. Esse será o seu grande ponto de partida para escrever uma boa dissertação e obter sucesso na pontuação no vestibular ou no Enem. Uma leitura atenta vai evitar que você cometa um dos erros mais comuns dos estudantes: fugir do tema. Razão pela qual muitas redações ganham nota zero.

A Compreensão do Tema

Você deve estar se perguntando: como garantir que eu entendi o tema proposto? Para começar, elabore perguntas sobre o assunto. Faça uma espécie de questionário e reflita sobre os pontos levantados. Isso vai facilitar a percepção de como o tema deverá ser desenvolvido. Quer revisar um pouco para se garantir na Redação Enem? Veja aqui uma aula gratuita sobre Interpretação de Texto.

Fugir do Tema é perder pontos na certa – Em geral, nos vestibulares ou na Redação Enem o enunciado propõe como tema um problema, e que exige uma proposta de encaminhamento ou de solução. Por isso essa estratégia é bastante eficiente: foque primeiro no problema, depois em suas causas e, finalmente, nas possíveis soluções.

Responda estas seis perguntas para uma Redação Enem Nota Mil

1. Qual o problema? 2. Por que se trata de um problema? 3. Quais as causas para tal problema? 4. Há alguma solução? 5. Como e por que colocar tal solução em prática? 6.Como essa proposta pode, de fato, resolver o problema?

Todas essas perguntas fazem parte do que chamamos de brainstorming. Uma vez respondidas essas questões, elabore um projeto de texto e defina com mais detalhes a tese a ser defendida. Vamos seguir com o nosso post-aula sobre como preparar um texto Dissertativo Argumentativo.
Você já respondeu as 6 perguntas acima?

Se a resposta for SIM, então você já tem uma base de como começar a escrever. Ainda não? – Então, volte um parágrafo, leia novamente as seis perguntas, e responda antes de prosseguir.

OK, agora você já tem os instrumentos necessários para criar sua tese, ou seja, o que será defendido ao longo dos parágrafos de sua dissertação para o vestibular ou para uma Redação Enem. Anote suas ideias em uma folha de rascunho. Tome cuidado para escolher uma tese que você conheça profundamente e possa defender com desenvoltura.

A partir dessa fase, você começa a colocar “a mão na massa”. Seu principal foco deve ser o conteúdo, e não tanto a gramática e ortografia. Então, dê mais importância para a organização de seus argumentos. Suas ideias devem fazer sentido.

Apresente seus argumentos de forma harmoniosa para que a leitura do texto seja fluida, ou seja, fácil de ler e de compreender.

A coerência e a organização vão valorizar cada ponto de seus argumentos. Quanto mais fácil for para o corretor entender seu texto, maiores as chances de garantir uma boa nota. Depois do vídeo abaixo veja com fazer a Introdução, o Desenvolvimento, e a Conclusão da sua Redação no Vestibular ou numa Redação Enem. Veja após o formulário de pesquisa do Guia de Bolsas de Estudo quais são os Componentes básicos para uma Redação Nota 1000.
Guia de Bolsas de Estudo – vagas em todo o país. Veja os cursos!
Quem sabe você não consegue uma Bolsa de Estudos para começar a faculdade agora ou no próximo semestre?
Além das chances no Sisu, no Prouni e no Fies há vagas com bolsas de estudo em mais de 800 faculdades e universidades no país todo.
Basta você entrar no formulário a seguir e digitar o nome do curso pretendido para ter acesso às vagas em todo o país.
O Guia de Bolsas de Estudo traz oportunidades da Rede Alumni com reduções significativas, que podem chegar a até 75% do valor da mensalidade no Programa Quero Bolsa. Veja!

Digite o nome do curso para ver as bolsas de estudo disponíveis:

SIMULADOR DE NOTAS DE CORTE DO ENEM
Curso
Nota
Cidade/EstadoConsultar
Componentes de uma dissertação argumentativa para um Redação nota Máxima: introdução,desenvolvimento, e conclusão.

1 – Introdução

A introdução equivale ao primeiro parágrafo. Nessa parte você fará a apresentação do problema e de suas principais abordagens. Sua tese principal também deve estar aqui. Os argumentos que vão explicar e defender seu ponto de vista estarão nos parágrafos seguintes. Dessa forma, você irá direcionar o olhar do leitor para seguir sua linha de raciocínio.

2 – Desenvolvimento

Os dois ou três parágrafos depois da introdução compõem o desenvolvimento. É a partir do segundo parágrafo que você vai defender a tese apresentada na introdução.

Cada parágrafo do desenvolvimento deve apresentar argumentos que sustentem as afirmações anteriores. Dessa forma, será possível analisar de forma profunda e contextualizar sua ideia principal. Veja como fazer nestes 10 exemplos de Redação Enem Nota 1000.
Confira textos nota 1000 no Enem
3 – Conclusão

No parágrafo final da dissertação, você deve retomar o que apresentou na introdução, de modo a reforçar o problema discutido até aqui. A diferença é que na conclusão, você apresentará soluções sobre as questões levantadas anteriormente.

As frases-chave de cada parágrafo também serão retomadas. Dessa forma, quando o leitor terminar a leitura, estará certo de que você propõe as melhores soluções possíveis para os problemas apresentados ao longo do texto. Veja a seguir as dicas para corrigir seus textos ao longo do ano.
Importante: Não se esqueça de revisar seu texto antes de entregar a Redação!

Esse é o momento de prestar atenção nos erros gramaticais, na ortografia e na pontuação. Uma dica importante: se você não está seguro sobre a grafia de uma palavra, substitua por um sinônimo. Caso não conheça uma palavra com um significado semelhante, mude a frase. O importante é não perder pontos à toa!
Veja os Modelos de Redação Enem nota 1000

Confira a seguir exemplos de Redação Enem Nota 1000 no Exame em 2016, 2015, 2014, e no Enem de 2013 e 2012. Leia uma, duas, três, mil vezes se for preciso uma Redação Enem corrigida com nota 1000.
Redação Enem 2016 nota 1000:

Candidata: Marcela Sousa Araújo, 21 anos, Itabuna (Bahia)

No meio do caminho tinha uma pedra

No limiar do século XXI, a intolerância religiosa é um dos principais problemas que o Brasil foi convidado a administrar, combater e resolver. Por um lado, o país é laico e defende a liberdade ao culto e à crença religiosa. Por outros, as minorias que se distanciam do convencional se afundam em abismos cada vez mais profundos, cavados diariamente por opressores intolerantes.

O Brasil é um país de diversas faces, etnias e crenças e defende em sua Constituição Federal o direito irrestrito à liberdade religiosa. Nesse cenário, tomando como base a legislação e acreditando na laicidade do Estado, as manifestações religiosas e a dissseminação de ideologias fora do padrão não são bem aceitas por fundamentalistas. Assim, o que deveria caracterizar os diversos “Brasis” dentro da mesma nação é motivo de preocupação.

Paradoxalmente ao Estado laico, muitos ainda confundem liberdade de expressão com crimes inafiançáveis. Segundo dados do Instituto de Pesquisa da USP, a cada mês são registrados pelo menos 10 denúncias de intolerância religiosa e destas 15% envolvem violência física, sendo as principais vítimas fieis afro-brasileiros. Partindo dessa verdade, o então direito assegurado pela Constituição e reafirmado pela Secretaria dos Direitos Humanos é amputado e o abismo entre oprimidos e opressores torna-se, portanto, maior.

Parafraseando o sociólogo Zygmun Bauman, enquanto houver quem alimente a intolerância religiosa, haverá quem defenda a discriminação. Tomando como norte a máxima do autor, para combater a intolerância religiosa no Brasil são necessárias alternativas concretas que tenham como protagonistas a tríade Estado, escola e mídia.

O Estado, por seu caráter socializante e abarcativo deverá promover políticas públicas que visem garantir uma maior autonomia religiosa e através dos 3 poderes deverá garantir, efetivamente, a liberdade de culto e proteção; a escola, formadora de caráter, deverá incluir matérias como religião em todos os anos da vida escolar; a mídia, quarto poder, deverá veicular campanhas de diversidade religiosa e respeito às diferenças. Somente assim, tirando as pedras do meio do caminho, construir-se-á um Brasil mais tolerante.


E você, gostou do texto da Marcela? Para conseguir uma nota assim tão boa é preciso se preparar bem para montar a sua redação do Enem com a estrutura correta e com os fundamentos para fazer a abordagem do tema, desenvolver um ponto de vista, apresentar os argumentos, e concluir com uma proposta de intervenção.  

Redação Enem nota 1000 – Ano 2015 – Veja!

1 – Candidata Isadora Peter Furtado (17 anos, Pelotas – RS. Ela estudou no grupo de alunos do professor Luís Fernando Gallo). O tema da Redação Enem 2015 foi ‘A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira’. Veja o texto dissertativo argumentativo que ganhou a nota máxima:

A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira é um problema muito presente. Isso deve ser enfrentado, uma vez que, diariamente, mulheres são vítimas desta questão. Neste sentido, dois aspectos fazem-se relevantes: o legado histórico-cultural e o desrespeito às leis. Segundo a História, a mulher sempre foi vista como inferior e submissa ao homem. Comprova-se isso pelo fato de elas poderem exercer direitos, ingressarem no mercado de trabalho e escolherem suas próprias roupas muito tempo depois do gênero oposto.

Esse cenário, juntamente aos inúmeros casos de violência contra as mulheres corroboram a ideia de que elas são vítimas de um histórico-cultural. Nesse ínterim, a cultura machista prevaleceu ao longo dos anos a ponto de enraizar-se na sociedade contemporânea, mesmo que de forma implícita, à primeira vista.

Conforme previsto pela Constituição Brasileira, todos são iguais perante à lei, independente de cor, raça ou gênero, sendo a isonomia salarial, aquela que prevê mesmo salário para mesma função, também garantidas por lei. No entanto, o que se observa em diversas partes do país, é a gritante diferença entre os salários de homens e mulheres, principalmente se estas forem negras. Esse fato causa extrema decepção e constrangimento a elas, as quais sentem-se inseguras e sem ter a quem recorrer. Desse modo, medidas fazem-se necessárias para corrigir a problemática.

Diante dos argumentos supracitados, é dever do Estado proteger as mulheres da violência, tanto física quanto moral, criando campanhas de combate à violência, além de impor leis mais rígidas e punições mais severas para aqueles que não as cumprem. Some-se a isso investimentos em educação, valorizando e capacitando os professores, no intuito de formar cidadãos comprometidos em garantir o bem-estar da sociedade como um todo.

https://blogdoenem.com.br/redacao-enem-dissertativo-argumentativo/

Três técnicas de Conclusão para a sua Redação Enem. Confira as dicas.


Confira três técnicas de conclusão para a sua Redação Enem: 1 - Dedução; 2 - Síntese; e, 3 - Intervenção. Entenda como trabalhar o seu texto com estas ferramentas. É você rumo à nota mil. Veja abaixo.

Uma das partes mais importantes da redação Enem é, sem dúvidas, a conclusão, com ela você vai arrematar toda a sua argumentação em torno do tema e encerrar o seu texto: 1 – Dedução; 2 – Síntese; ou, 3 – Intervenção.

Existem três técnicas de conclusão para você finalizar a sua redação Enem, dentro da proposta de um texto dissertativo argumentativo. O portal Universia sistematizou de maneira bem simples para você entender como construir uma boa Conclusão. O essencial no Enem é ter na conclusão da redação uma consequência lógica da sua abordagem sobre o tema, dos argumentos utilizados, e chegar então ao fecho com a sua proposta, considerando a perspectiva dos Direitos Humanos. é fundamental para obter uma boa avaliação na Redação do Enem e também nos vestibulares.

Veja agora cada uma das três alternativas de Conclusão da Redação Enem.

1 – Dedução

A palavra “dedução” tem sua origem no latim, deductione, que significa conduzir ou extrair. Trata-se de um processo de raciocínio em que a conclusão é alcançada a partir de um conjunto de premissas abordadas em uma afirmação e que constroem um pensamento lógico. Isso se chama “regras de inferência”.A dedução é uma ferramenta metodológica essencial do pensamento científico, pois será a partir de uma série de dados e informações que será possível tirar uma conclusão a respeito de um assunto estudando. Na Redação Enem não é muito diferente. O candidato vai explorar nos parágrafos dedicados ao desenvolvimento da dissertação, tudo aquilo que sabe sobre o tema, fazer as devidas relações e, no momento da conclusão, manifestar o que se pode deduzir dessas informações.
Detalhes para uma boa ‘Dedução’:

Usa-se em geral conclusões ‘conclusivas’ como logo, portanto, pois, então, assim, por isso, por conseguinte, de modo que, em vista disso, entre outras. Não se recomenda utilizar a conjunção “portanto” nas conclusões de sentido amplo na Redação Enem, pois ela é mais aplicada para indicar relação com o que foi escrito logo antes, não é uma decorrência de todo o raciocínio anterior.


2 – Síntese

Síntese é um substantivo feminino que se origina na palavra grega synthesis, significa composição ou arranjo. Uma síntese pode ser um resumo, um sumário ou uma sinopse, ou seja, uma descrição abreviada com um texto.Na filosofia, a síntese é uma composição ou reunião de diversas partes de um todo em uma unidade. Trata-se da união do que é dado empiricamente com uma experiência objetiva. É um processo que parte do simples para o composto, dos elementos para o todo, das causas para a consequência.

A síntese tem como objetivo defender uma tese ou ideia através da argumentação, basicamente é o ato de abordar as principais ideias e pontos de conexão de um determinado raciocínio.
Dica extra:

Veja as dicas do Blog do Enem sobre como fazer um bom texto dissertativo argumentativo. É o caminho para uma Redação Enem Nota 10. Veja na imagem o que significa e como elaborar um texto dissertativo argumentativo.
O texto dissertativo-argumentativo para merecer uma nota mil na correção precisa ir além da estrutura básica de Introdução, Desenvolvimento, e Conclusão. É preciso Interpretar bem o Tema, propor argumentos consistentes, e fazer a conclusão alinhada com toda a fundamentação anterior. Veja agora como elaborar a proposta de Intervenção:

3 – Conclusão da Redação Enem com Intervenção

Técnica obrigatória na Redação Enem, trata-se de elaborar uma sugestão para “solucionar” o problema posto em debate na proposta de redação. O Guia do Participante, elaborado pelo MEC-INEP, sugere que a proposta de intervenção seja composta de maneira que permita ao leitor o julgamento sobre sua exequibilidade, ou seja, deve conter a exposição da intervenção sugerida e os meios para realizá-la. Basicamente, a “solução” deve ser viável.O candidato deve sempre buscar propostas concretas, específicas e consistentes com o desenvolvimento de suas ideias. Deve-se elaborar uma proposta de intervenção detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Ela deve ser clara, inovadora e, sobretudo, viável.

Agora uma pergunta: eu devo utilizar somente uma das técnicas de conclusão em minha redação Enem?

Você pode usar todas elas ou somente uma. Só não pode esquecer que a Intervenção é obrigatória. As redações com as melhores notas geralmente usam as três técnicas para compor uma conclusão bastante completa:


Ao terminar o desenvolvimento do tema da redação, cabe fazer uma brevíssima síntese dos principais pontos que conduzirão à dedução das soluções a serem apresentadas na proposta de intervenção.

Gramática – Vai crase ou não vai crase? Tira-dúvidas Enem e vestibular.


Estude agora um conteúdo que pega muita gente na hora das provas e na redação também: CRASE! Saiba como usár corretamente. Sempre cai! Veja abaixo.

Crase, como empregar corretamente? Como saber se o correto é ‘a’ ou ‘à’.

Você não está só nesta dúvida sobre a Crase. É um dos maiores dilemas da língua portuguesa para quem vai enfrentar o Enem ou o Vestibular. Na hora de escrever também não é muito diferente. Acontece com você? Então, vamos tratar de tirar as dúvidas. Veja o texto, o vídeo com a aula gratuita, e depois faça os exercícios para não esquecer o que aprendeu.

O correto é ‘Vou a Bahia’, ou ‘Vou à Bahia’? E nesta agora: Fui à aula de Português para o Enem’, ou é ‘Fui a aula de Português para o Enem’? Muitas dúvidas! Vamos lá!

Uma dica básica para saber se tem crase é fazer a mudança de gênero, passando do feminino para o masculino. A dica é substituir a crase por “ao” e o substantivo feminino por um masculino, caso essa preposição seja aceita sem prejuízo de sentido, então com certeza há crase. Mas o que é crase?

Crase é a junção da preposição “a” com o artigo definido “a(s)”, ou ainda da preposição “a” com as iniciais dos pronomes demonstrativos aquela(s), aquele(s), aquilo ou com o pronome relativo a qual (as quais). Graficamente, a fusão das vogais “a” é representada por um acento grave, assinalado no sentido contrário ao acento agudo: à. Importante: a crase não é o acento, é o processo de junção da preposição “a” com o artigo definido feminino “a”. O acento chama-seacento grave marcador de crase.

Você deve se ligar nos seguintes pontos, muito importantes quando o assunto é crase, em Gramática Enem.

1) Nunca existirá crase antes de:
Palavras masculinas
Verbos
Entre palavras repetidas (dia-a-dia)
antes de artigos indefinidos (um, umas, uns, umas)
antes de palavras no plural se o “a” estiver no singular
antes de numeral cardinal (exceto se indicarem hora)


2) Sempre ocorrerá crase:
Antes de locuções prepositivas, adverbiais e conjuntivas: às vezes, à toa, à esquerda, à noite ..
antes de numeral cardinal indicando hora


3) Pode ou não ocorrer crase
Antes de nomes de cidades, lugares, países, etc.

https://blogdoenem.com.br/gramatica-enem-crase/

Clarice Lispector – Literatura no Vestibular e no Enem. Veja!


Conheça um pouco da vida e da obra da escritora Clarice Lispector nesta aula preparatória para a prova de Literatura Enem. Ela tem uma importância radical em nossa literatura intimista, introspectiva. Escreveu o clássico 'A hora da estrela', com a vida da personagem Macabéia. Confira abaixo.

Clarice Lispector nasceu na Ucrânia (Chechelnyk, 1920) e morreu no Rio de Janeiro (1077). Veio morar para o Brasil quando era recém-nascida. Casou-se com um diplomata brasileiro, morou em vários países, e criou uma obra desafiadora e polêmica na literatura modernista do Brasil. Confira esta revisão para o Enem e o Vestibular.

Obras de maior destaque de Clarice Lispector

“Perto do coração selvagem” chegou a ser recusado por uma editora. Depois, virou um sucesso e acabou sendo premiadoO lustre; A cidade sitiada; A maçã no escuro; A paixão segundo G. H.

É autora também de Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres; Água viva; Felicidade Clandestina; Onde estiveste de Noite?; e o grande clássico estrelado pela personagem Macabéia: A hora da estrela.
Características da obra

Clarice trouxe muitas inovações para a literatura, tanto no que diz respeito à temática tanto no que se refere à estrutura narrativa. Não aparecem temas regionalistas em sua obra e sim a sondagem psicológica do indivíduo, a análise de suas angústias e seus dramas existenciais.

Clarice Lispector é o nome mais significativo do romance introspectivo brasileiro. O principal eixo de sua obra é o questionamento do ser, o “estar-no-mundo”, a pesquisa do ser humano. “Não tem pessoas que cosem para fora? Eu coso para dentro”. Assim explicava a autora seu ato de escrever.

Na linguagem de Clarice Lispector há uma certa preocupação com a revalorização das palavras: dá-lhes uma roupagem nova, explorando os limites do significado, trabalhando metáforas e aliterações. Manifesta uma grande preocupação com aquilo que está escrito nas entrelinhas.

Mas já que se há de escrever, que ao menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas. O melhor ainda não foi escrito. O melhor está nas entrelinhas. A linearidade da narrativa (começo, meio, fim) não importa.

Interessa-lhe a narrativa baseada na memória, nas emoções, isto é, no “fluxo da consciência” do narrador. Os diálogos são em pequeno número, dando lugar ao monólogo interior, que é uma das técnicas adequadas à análise introspectiva.

A hora da estrela – o grande clássico de Clarice

Em A hora da estrela Clarice Lispector produz um texto que apresenta dois eixos: o drama de Macabéa, pobre moça alagoana engolida pela cidade grande, e o drama do narrador, duelando com as palavras e os fatos. Poderíamos afirmar que se trata de uma narrativa de caráter social e, ao mesmo tempo, uma profunda e angustiada reflexão sobre o ato de escrever.

O crítico Eduardo Portella chegou a questionar se A hora da estrela não estaria revelando uma nova Clarice Lispector, “exterior e explícita”, para concluir que “a moça alagoana é um substantivo coletivo” por personificar um drama em que ela deixa de ser um transeunte anônimo, solitário e inconsequente, para adquirir o sentido incômodo de uma provocação em aberto. Com relação à construção da narrativa, existe um narrador que dificulta a localização de sua voz, misturando-a com a das outras personagens.
Aula Gratuita sobre Clarice Lispector

Saiba mais sobre Clarice Lispector nesta aula do canal tvbrasil, disponível no Youtube. Após assistir, revise o que você aprendeu respondendo aos nossos desafios!

Desafios para você responder e compartilhar

Poesia Concreta – Revisão de Literatura Enem e Vestibular. Confira!


Veja o movimento literário da Poesia Concreta nesta aula preparatória para o vestibular e o Exame Nacional do Ensino Médio. É você mandando bem nas questões de literatura. Confira abaixo.

O movimento denominado como ‘Poesia Concreta’ faz parte da história literária do Brasil. Confira nesta aula gratuita para o vestibular e o Enem.


Décio Pignatari e os irmãos Campos (na foto) são expoentes deste movimento da Poesia concreta. Em 1956, a Exposição Nacional de Arte Concreta, realizada na cidade de São Paulo, lançou oficialmente o mais controverso movimento de poesia vanguardista brasileira: o concretismo*.

Criada por Décio Pignatari (1927), Haroldo de Campos (1929) e Augusto de Campos (1931), a poesia concreta era um ataque à produção poética da época, dominada pela geração de 1945, a quem os jovens paulistas acusavam de verbalismo, subjetivismo, falta de apuro e incapacidade de expressar a nova realidade gerada pela revolução industrial.

Em síntese, os criadores do concretismo propugnavam um experimentalismo poético(planificado e racionalizado) que obedecia aos seguintes princípios:


Abolição do verso tradicional, sobretudo através da eliminação dos laços sintáticos (preposições, conjunções, pronomes, etc.), gerando uma poesia objetiva, concreta, feita quase tão somente de substantivos e verbos;
Uma linguagem necessariamente sintética, dinâmica, homóloga à sociedade industrial (“A importância do olho na comunicação mais rápida (…) os anúncios luminosos, as histórias em quadrinhos, a necessidade do movimento (...)”);
Utilização de paronomásias, neologismos, estrangeirismos; separação de prefixos e sufixos; repetição de certos morfemas; valorização da palavra solta (som, forma visual, carga semântica) que se fragmenta e recompõe na página;
O poema transforma-se em objeto visual, valendo-se do espaço gráfico como agente estrutural: uso dos espaços brancos, de recursos tipográficos, etc.; em função disso o poema deverá ser simultaneamente lido e visto.

Um exemplo destas propostas pode ser encontrado no poema Terra de Décio Pignatari:



Observe-se o despojamento e o jogo verbal deste poema de Haroldo de Campos:

de sol a sol

soldado

de sal a sal

salgado

de sova a sova

sovado

de suco a suco

sugado

de sono a sono

sonado

sangrado

de sangue a sangue



Décio Pignatari



Augusto de Campos – 1965

Saiba mais sobre Poesia Concreta neste vídeo do canal itaucultural, disponível no Youtube. Após assistir, revise o que você aprendeu respondendo aos nossos desafios!

Desafios

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Subdesenvolvimento segundo Nelson Rodrigues


"Subdesenvolvimento não se improvisa; 
é obra de séculos."

Nelson Rodrigues

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...