SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Saiba como usar corretamente “cujo” e “cuja”


O pronome relativo cujo (e suas variantes cujos, cuja e cujas) é um daqueles casos para se conhecer bem, pois ele possui regras específicas para ser usado – ao contrário, por exemplo, do pronome relativo que, o qual usamos de montão.

♦ Regra 1 O pronome une dois elementos. Aquele que vem antes do “cujo” tem uma relação de posse, ou propriedade, com o elemento que vem depois. Exemplos:

– A lei Maria da Penha, cuja formulação está ligada a um caso real de violência, foi considerada um avanço em políticas públicas de direitos de gênero.
– A denúncia atingiu o deputado, cujo mandato poderá ser cassado em votação na Câmara.

Notou? A formulação citada pertence à lei, é dela, veja: A formulação da Lei Maria da Penha está ligada… e O mandato pertence ao deputado.

♦ Regra 2 Não se usa artigo entre o pronome e o termo seguinte, justamente porque esse “o” e esse “a” das palavras cuj­o e cuja são os artigos que se referem ao termo antecedente. Veja como fica errado utilizar esses artigos:

– A lei Maria da Penha, cuja a formulação está ligada a um caso real de violência…
– A denúncia atingiu o deputado, cujo o mandato poderá ser cassado em votação na Câmara.

♦ Regra 3 Os pronomes cujo e cuja serão antecedidos de preposição quando o verbo exigir. Exemplos:

– A lei Maria da Penha, de cuja formulação participaram juristas, foi considerada um avanço…

O verbo participar é transitivo indireto, pois quem participa, participa de algo. Veja: Juristas participaram da formulação da Lei Maria da Penha.

– O caso da denúncia em questão, de cuja autoria o deputado foi acusado, poderá ser considerado quebra de decoro parlamentar.

Quem é autor, é autor de algo. Veja: O deputado foi acusado de ser o autor do caso da denúncia em questão.

Fonte: Guia do estudante

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...