SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

domingo, 20 de maio de 2018

Paulo Freire, o grande pedagogo do Brasil


"Paulo Freire (1921-1997) foi o mais célebre educador brasileiro, com atuação e reconhecimento internacionais. Conhecido principalmente pelo método de alfabetização de adultos que leva o seu nome, ele desenvolveu um pensamento pedagógico assumidamente político. Para Freire, o objetivo maior da educação é conscientizar o aluno. Isso significa, em relação às parcelas desfavorecidas da sociedade, levá-las a entender a sua situação de oprimidas e agir em favor da própria libertação. O principal livro de Freire se intitula justamente Pedagogia do Oprimido e os conceitos nele contidos baseiam boa parte do conjunto da sua obra. Paulo Freire foi o mentor da educação para a consciência e o mais célebre educador brasileiro, autor de muitos livros sobre educação, nos que defende como objetivo da escola ensinar o aluno a “ler o mundo” para poder transformá-lo.

O seu nome completo era Paulo Régis Neves Freire, educador pernambucano, que nasceu em 19 de setembro de 1921 na cidade do Recife. Foi alfabetizado pela mãe, que o ensina a escrever com pequenos galhos de árvore no quintal da casa da família. Com 10 anos de idade, a família mudou para a cidade de Jaboatão. Na adolescência começou a desenvolver um grande interesse pela língua portuguesa. Com 22 anos de idade, Paulo Freire começa a estudar Direito na Faculdade de Direito do Recife. Enquanto cursava os seus estudos de Direito, casou-se com a professora primária Elza Maia Costa Oliveira. Com a esposa, teve cinco filhos e começou a lecionar no Colégio Oswaldo Cruz em Recife. No ano de 1947 foi contratado para dirigir o departamento de educação e cultura do Sesi, onde entra em contato com a alfabetização de adultos. Em 1958 participa de um congresso educacional na cidade do Rio de Janeiro. Neste congresso, apresenta um trabalho importante sobre educação e princípios de alfabetização. De acordo com as suas ideias, a alfabetização de adultos deve estar diretamente relacionada ao quotidiano do trabalhador. Desta forma, o adulto deve conhecer a sua realidade para poder inserir-se de forma crítica e atuante na vida social e política.

No começo de 1964, foi convidado pelo presidente João Goulart para coordenar o Programa Nacional de Alfabetização. Logo após o golpe militar, o método de alfabetização de Paulo Freire foi considerado uma ameaça à ordem, pelos militares. Viveu no exílio no Chile e na Suíça, onde continuou produzindo conhecimento na área de educação. A sua principal obra, Pedagogia do Oprimido, foi lançada em 1969. Nela, Paulo Freire detalha o seu método de alfabetização de adultos. Retornou ao Brasil no ano de 1979, após a Lei da Anistia. Durante a prefeitura de Luiza Erundina, em São Paulo, exerceu o cargo de secretário municipal da Educação. Depois deste importante cargo, onde realizou um belo trabalho, começou a assessorar projetos culturais na América Latina e África. Morreu na cidade de São Paulo, de enfarte, em 2 de maio de 1997.

As suas mais importantes obras são:

– A propósito de uma administração. Recife: Imprensa Universitária, 1961.

– Conscientização e alfabetização: uma nova visão do processo. Estudos Universitários – Revista de Cultura da Universidade do Recife. Número 4, 1963: 5-22.

– Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1967.

– Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1970.

– Educação e mudança. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1979.

– A importância do ato de ler em três artigos que se completam. S. Paulo: Cortez Edit.ª, 1982.

– A educação na cidade. São Paulo: Cortez Editora, 1991.

– Pedagogia da esperança. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1992.

– Política e educação. São Paulo: Cortez Editora, 1993.

– Cartas a Cristina. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1974.

– À sombra desta mangueira. São Paulo: Editora Olho d’Água, 1995.

– Pedagogia da autonomia. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1997.

– Mudar é difícil, mas é possível (Palestra proferida no SESI de Pernambuco). Recife: CNI/SESI, 1997-b.

– Pedagogia da indignação. São Paulo: UNESP, 2000.

– Educação e atualidade brasileira. São Paulo: Cortez Editora, 2001.

A produtora Atta Mídia e Educação, sob edição da Paulus Editora de São Paulo, realizou sobre Freire 5 documentários em 2006 e 2008, que são os que apresento neste depoimento. Com data 12 de setembro de 2012 publiquei já na série do PGL “As Aulas no Cinema” um depoimento dedicado a Freire, que pode consultar-se entrando aqui.
FICHAS TÉCNICAS DOS 5 DOCUMENTÁRIOS:

1.-T. O.: Paulo Freire.
Produtora: Atta Mídia e Educação (Brasil, 2006, 57 min., a cores e a preto e branco).
Direção: Ângela Antunes e Moacir Gadotti.
Editora: Paulus Editora. Coleção: Grandes Educadores.
Roteiro e Apresentação: Ângela Antunes. Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, diretora técnico-pedagógica do Instituto Paulo Freire e autora, dentre outras obras, do livro Aceita um conselho: como organizar o colegiado escolar.
Argumento: Paulo Freire é considerado mundialmente um dos maiores educadores do século XX, por uma ousadia até hoje muito pouco praticada: colocar o oprimido como sujeito da sua aprendizagem e da transformação da sua realidade. Criou uma metodologia que insere a leitura do mundo, a liberdade, o diálogo, a aprendizagem significativa para uma educação transformadora e, nem por isso, menos eficiente que a tradicional. Paulo Freire, autor de mais de 25 livros, foi professor nas universidades de Harvard e de Genebra, na universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC- SP). A Paulo Freire foi outorgado o título de doutor Honoris Causa em 27 universidades, de diversos países.
Conteúdos do Documentário: Histórico e trajetória; O exílio; O método; Investigação temática; Tematização; Problematização; Leitura do mundo; Compartilhando o mundo lido; Reconstrução do mundo lido; Vivenciando o mundo; A Educação e o conhecimento por Paulo Freire; O professor; A escola; O aluno; O sistema; O diálogo; A Educação é política; Um mundo novo.

2.-T. O.: Paulo Freire: Biografia. (Duração: 40 min.).
Argumento: Como diz Nita Freire, a vida e a obra em Paulo Freire se confundem. O seu pensamento é fruto daquilo que vivenciou. É um dado coerente com a visão que ele tinha da Educação, segundo o qual, deve partir da vida e servir a vida.
Conteúdos do Documentário: À sombra das árvores; SESI, tempo fundante; Angicos; Exílio; Chile, “A Pedagogia do Oprimido”; Suíça, andarilhando pelo mundo; África; A volta, recomeço; Secretaria.

3.-T. O.: Paulo Freire: Educação. (Duração: 55 min.).
Argumento: Paulo Freire mostrou não somente a importância do diálogo e de se levar em conta a vida e os interesses dos educandos, mas foi além. Paulo Freire mostrou como fazer isso. Ele teve a rara capacidade de traduzir de modo a parecer tão simples algo que é profundo e transformador.
Conteúdos do Documentário: Um ser em busca da sua completude; Um pensamento nascido da vida; Um ser de relação; A Educação é um ato político; A Educação é um ato de conhecimento; O oprimido; Diálogo; Fontes de Paulo Freire; Alfabetização, método ou metodologia; O professor.

4.-T. O.: Paulo Freire: Inspirações. (Duração: 62 min.).
Argumento: Ao longo da sua vida, Paulo Freire surpreendeu a muitos por não ter uma visão nostálgica das suas primeiras e fundamentais descobertas. Não achava que deveria ser copiado, mas valorizava aqueles que, inspirando-se no seu pensamento, traziam novas visões e práticas educativas.
Conteúdos do Documentário: Uma aula de história; Uma aula de Física; A metodologia; Um dia na Escola Amorim Lima; Um dia em um Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos.

5.-T. O.: Paulo Freire: Legado. (Duração: 35 min.).
Argumento: Na sua vida, Paulo Freire foi um exemplo de coerência e coragem. Mas também de excelente senso de humor e de uma vivacidade transbordante. Deixou uma obra, profunda e densa, uma obra para o futuro.
Conteúdos do Documentário: A valorização da cultura do outro; A partir de ouvir; Visão humanista; Incompletude; Conscientização; Democracia; Diálogo.
DADOS IMPORTANTES DA SÉRIE DE 4 DVDS:
Produtora: Atta Mídia e Educação (Brasil, 2008, 192 min., a cores e a preto e branco).
Editora: Paulus Editora. Coleção: Paulo Freire, com 4 programas noutros tantos DVDs.
Informação geral: A importância do diálogo e a necessidade de se levar em conta os interesses e pressupostos do educando são ideias quase consensuais entre os educadores atualmente. Mas não eram quando surgiu Paulo Freire. Aliando uma sofisticada elaboração intelectual com um olhar corajoso e uma enorme capacidade de comunicação, Paulo Freire influenciou e influencia educadores de todo o mundo.
Estudiosos e colaboradores da série: Para falar de uma figura tão rara e inspiradora, onze pessoas, que conviveram, estudaram e trabalharam com Paulo Freire, unem-se para tratar da sua vida e obra nesta coleção. Participam desta coleção: Alípio Casali, Celso Beisiegel, Claudius Ceccon, Frei Betto, Lisete Arelaro, Luís Carlos Menezes, Nita Freire, Osmar Fávero, Pedro Pontual, Plínio Arruda Sampaio e Vera Barreto.
O PENSAMENTO DE FREIRE NA SUA PRÓPRIA VOZ:

Por meio de várias das suas frases mais significativas, podemos analisar perfeitamente o seu pensamento pedagógico, humano e social. Apresento a continuação algumas das mais importantes:

– “Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transformar a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.”

– “Que é mesmo a minha neutralidade senão a maneira cômoda, talvez, mas hipócrita, de esconder minha opção ou meu medo de acusar a injustiça? Lavar as mãos em face da opressão é reforçar o poder do opressor, é optar por ele.”

– “Ninguém ignora tudo. Ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa. Todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre.”

– “É fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, de tal maneira que num dado momento a tua fala seja a tua prática.”

– “A humildade exprime, uma das raras certezas de que estou certo: a de que ninguém é superior a ninguém.”

– “Importante na escola não é só estudar, é também criar laços de amizade e convivência.”

– “A teoria sna prática vira “verbalismo”, assim como a prática sem teoria, vira ativismo. No entanto, quando se une a prática com a teoria tem-se a práxis, a ação criadora e modificadora da realidade.”

– “Não basta saber ler que Eva viu a uva. É preciso compreender qual a posição que Eva ocupa no seu contexto social, quem trabalha para produzir a uva e quem lucra com esse trabalho.”

– “Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso, eu amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo, que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade.”

– “O amor é uma intercomunicação íntima de duas consciências que se respeitam. Cada um tno outro como sujeito do seu amor. Não se trata de apropriar-se do outro.”

– “Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda.”

– “Num país como o Brasil, manter a esperança viva é em si um ato revolucionário.”

– “Não se pode falar de educação sem amor.”

– “Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção.”

– “O ser alienado não procura um mundo autêntico. Isto provoca uma nostalgia: deseja outro país e lamenta ter nascido no seu. Tem vergonha da sua realidade.”

– “Não é na resignação, mas na rebeldia em face das injustiças que nos afirmaremos.”

– “Quando o homem compreenda sua realidade, pode levantar hipóteses sobre o desafio dessa realidade e procurar soluções. Assim, pode transformá-la e o seu trabalho pode criar um mundo próprio, o seu Eu e suas circunstâncias.”

– “A escola será cada vez melhor, na medida em que cada ser se comportar como colega, como amigo, como irmão.”

– “Não há saber mais ou saber menos: Há saberes diferentes.”

– “Gosto de ser gente porque, inacabado, sei que sou um ser condicionado mas, consciente do inacabamento, sei que posso ir mais além dele.”

– “(…) todo amanhã se cria num ontem, através de um hoje (…). Temos de saber o que fomos, para saber o que seremos?”.

– “A alegria não chega apenas no encontro do achado, mas faz parte do processo da busca. E ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da boniteza e da alegria.”

– “Não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação-reflexão.”




Fonte:http://pgl.gal/paulo-freire-grande-pedagogo-do-brasil-cinco-documentarios-vida-obra/

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...