SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Morre escritor e crítico literário Antonio Candido, mas sua obra vive em nós!


"Morreu na manhã desta sexta-feira (12/5) o escritor e crítico literário Antonio Candido. Ele tinha 98 anos de idade e estava internado com problemas intestinais no Hospital Alberto Einstein, em São Paulo.

Antonio Candido era autor e crítico de literatura, tendo assinado obras importantes para cultura brasileiura, como Método crítico de Silvio Romero (1944), Formação da literatura brasileira (1959) e Literatura e sociedade (1965).

No Facebook, o escritor Ricardo Lisias lamentou a morte de Candido: "Para sempre o professor Antonio Candido será um exemplo de imensa coragem e dignidade no ambiente intelectual brasileiro."

Durante a carreira, Candido ganhou os principais prêmios da literatura nacional, como Jabuti (1960, 1965, 1966, 1993), Alfonso Reyes (2005), Juca Pato (2007), Camões (1998) e Machado de Assis (1993).

Além de escritor e crítico literário, Candido era militante e um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT). Ele declarou apoio à candidatura de Dilma Rousseff nas últimas eleições.



O crítico e ensaísta se definia como um sobrevivente. "Sou provavelmente o último amigo vivo de Oswald de Andrade, um escritor dono de uma personalidade vulcânica", comentou Candido, em rara entrevista, em Paraty, onde, em 2011, fez a conferência de abertura da 9.ª Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip. Como o homenageado era justamente o autor de "Marco Zero, Candido decidiu quebrar seu silêncio - não gostava de ser entrevistado tampouco de fazer aparições públicas.



O ensaísta mantinha fortes lembranças de Oswald (1890-1954) justamente por causa de sua personalidade marcante. "Ele tinha traços de gênio: mesmo não sendo um grande leitor, Oswald captava a essência dos assuntos e discursava como grande entendedor."



A amizade entre eles começou depois de uma crise - o escritor não gostou de uma crítica escrita por Candido sobre "Marco Zero", romance de 1943. "O comunismo fez mal para ele, que passou a escrever uma literatura mais engajada, longe da linguagem telegráfica que era seu melhor estilo", contou Candido "Eu era um jovem crítico, estava com 24 anos, e não aceitava aquele silêncio que rondava a obra de Oswald, considerado um autor inatacável."



Passado o tempo, o próprio Antonio Candido reconheceu o exagero de sua escrita, a ponto de produzir um longo ensaio em que reconhecia o valor literário do autor. Foi o suficiente para estabelecer uma amizade profunda e sincera, que resistiu até às novas críticas de livros.



O exercício, aliás, era arriscado. Candido comentou que o crítico literário de sua época era obrigado a lidar com nomes que, naquele momento, ainda eram desconhecidos."

Correio Braziliense

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...