SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Entenda as funções emotiva e metalinguística




Entenda as funções da linguagem

Sobre a função emotiva:
A língua pode ser usada para exteriorizar as emoções, para extravasar sentimentos. Trata-se da função emotiva da linguagem.
Para conseguir a manifestação do ego, os recursos acionados são opostos aos da linguagem de função referencial. Em lugar do efeito de objetividade, busca-se a expressão da subjetividade. É o ato de desnudar-se, de revelar o que existe de mais pessoal.
É o texto em que se faz uso de marcas de primeira pessoa, de expressões de caráter exclamativo, de interjeições. A poesia lírica é o exemplo, por excelência, da função emotiva da linguagem.

Sobre a função metalinguística:
Usamos a língua para fazer comentários sobre a própria língua. Quando perguntamos em que sentido foi utilizada uma palavra, quando se deve usar esta ou aquela expressão, qual é a forma correta de pronunciar tal palavra, qual é a diferença entre determinada frase e outra, estamos usando a língua para fazer comentários sobre ela mesma. Ao uso da língua com essa finalidade dá-se o nome de função metalingüística ou metalinguagem. Nas aulas de Língua Portuguesa, por exemplo, essa função é usada constantemente.

Vejamos alguns exercícios sobre o assunto.

1. O relato a seguir foi extraído de um livro sobre episódios marcantes da vida de Luís da Câmara Cascudo, importante folclorista brasileiro. No texto, há predomínio da função referencial da linguagem, mas também está presente a função emotiva.


Madrugada de 1953. Cascudo tem sua leitura interrompida por uma voz que cantava: "Aconteceu um novo amor / que não devia acontecer".
Abre a janela e encontra uma turma conhecida: Ticiano Duarte, Marcelo Fernandes, Mozart Romano. Mas quem cantava era Dorival Caymmi, que queria um autógrafo de Cascudo no seu violão.
Cascudo escancara a porta:
- Pelo amor de Deus, venham beber do meu conhaque.
Fica até de manhã ouvindo Caymmi cantar.

Diógenes da Cunha Lima. - Câmara Cascudo, um brasileiro feliz. - Rio de Janeiro, Lidador, 1998.

a) Que passagem do texto ilustra o uso da função emotiva?
Resposta: "Feio amor de Deue, venham beber do meu conhaque”.

b) Qual é a expressão que traduz com mais ênfase a emoção do falante nessa passagem?
Resposta: “Pelo amor de Deus”.

c) Na nossa cultura, em que circunstâncias se usa essa expressão e que emoção ela traduz?
Resposta: Trata-se de uma expressão exclamativa usada em circunstância a em que alguém é tomado de alguma emoção forte ou repentina. Como no caso de quase todas as interjeiçõs, seu significado depende da circunstância, do contexto em que é omitida: no caso, é expressão de euforia, de grande satisfação da parte de Câmara Cascudo ao ver o cantor que admirava tanto, a ponto de ficar ouvindo-o até de manhã.

Instruções para os exercícios de 2 a 4

A poesia lírica é o campo privilegiado da função emotiva da linguagem. Leia o poema que vem a seguir.

Poema só para Jaime Ovalle


Quando hoje acordei, ainda fazia escuro (Embora a manhã já estivesse avançada).
Chovia.
Chovia uma triste chuva de resignação
Como contraste e consolo ao calor tempestuoso da noite.
Então me levantei,
Bebi o café que eu mesmo preparei,
Depois me deitei novamente, acendi um cigarro e fiquei pensando...
- Humildemente pensando na vida e nas mulheres que amei.

Manuel Bandeira. Estrela da vida inteira. 4ª ed. Rio de Janeiro, José Olympio, 1973.

2. Assinale a alternativa que contém uma interpretação incorreta do poema de Manuel Bandeira.
a) O poeta relata uma sucessão de ações com frieza, como se não tivesse nada a ver com os acontecimentos relatados.
b) Há, no poema, indicadores de que o escuro que fazia era resultado de uma sensação do poeta e não da noite, que já tinha terminado.
c) O poeta manifesta sentimentos pessoais de tristeza, solidão e nostalgia, recurso bem típico da função emotiva da linguagem.
d) No verso "Chovia uma triste chuva de resignação", o adjetivo triste, embora esteja associado à palavra chuva, traduz um estado de espírito do poeta.
e) O verso "Bebi o café que eu mesmo preparei", no contexto desse poema, sugere uma idéia de solidão.

Resposta: letra A

3. Assinale a alternativa que identifica dois sentimentos básicos expressos pelo poeta nesse poema.
a) Solidão e revolta.
b) Saudade e ironia.
c) Solidão e resignação.
d) Nostalgia e desespero.
e) Nostalgia e ironia.

Resposta: letra C

4. Assinale a alternativa em que os dois trechos destacados não apresentam idéias contrastantes.
a) "ainda fazia escuro" / "(Embora a manhã estivesse avançada)”.
b) "Chovia." / "Chovia uma triste chuva”.
c) "triste chuva de resignação”/ "calor tempestuoso da noite”.
d) "Então me levantei” / "Depois me deitei novamente”.
e) "Bebi o café que eu mesmo preparei” / "nas mulheres que amei”.

Resposta: letra B

Instruções para o exercício 5

A música "Valsinha”, cuja letra vem transcrita a seguir, nasceu de uma parceria de Chico Buarque de Holanda e Vinícius de Morais.

Valsinha


1 Um dia ele chegou tão diferente
Do seu jeito de sempre chegar
Olhou-a de um jeito muito mais quente
Do que sempre costumava olhar.
5 E não maldisse a vida tanto quanto era seu jeito
De sempre falar.
E nem deixou-a só num canto,
Pra seu grande espanto
Convidou-a pra rodar.
10 E então ela se fez bonita
Como há muito tempo não queria ousar.
Com seu vestido decotado cheirando a guardado
De tanto esperar
Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo
15 Não se usava dar.
E cheios de ternura e graça
Foram para a praça e começaram a se abraçar.
E ali dançaram tanta dança que a vizinhança toda despertou.
E foi tanta felicidade que toda a cidade se iluminou.
20 E foram tantos beijos loucos, tantos gritos roucos
como não se ouviam mais
Que o mundo compreendeu
E o dia amanheceu em paz.

Na época da elaboração dessa música, Chico e Vinícius andaram trocando correspondências a respeito da letra. Leia, a seguir, o trecho inicial da carta que Chico escreveu para Vinícius (observe que o ano não consta da data da carta).


Rio, 2 de fevereiro

Caro Poeta,

Recebi as suas cartas e fiquei meio embananado. É que eu já estava cantando aquela letra, com hiato e tudo, gostando e me acostumando a ela. Também porque, como você já sabe, o público tem recebido a valsinha com o maior entusiasmo, pedindo bis e tudo. Sem exagero, ela é o ponto alto do show, junto com o "Apesar de você". Então dá um certo medo de mudar demais. Enfim, a música é sua e a discussão continua aberta. Vou tentar defender, por pontos, a minha opinião.

O Estado de S. Paulo, 19/3/1995.

Na continuação dessa carta, Chico Buarque vai pontuando várias diferenças entre a letra proposta por Vinícius e a que ele, Chico, preferiria, explicando com delicadeza suas preferências. Eis algumas das opiniões de Chico, extraídas da carta:
"Valsa Hippie" é um título forte. É bonito, mas pode parecer forçação de barra, com tudo o que há de hippie à venda por aí.
Convidou-a pra rodar eu gosto muito, poeta, deixa ficar. Rodar, que é dar um passeio e é dançar.
Apesar de Orestes (vestido dourado é lindo), eu gosto do som vestido decotado. É gostoso cantar vestidode-cotado. [...] E eu também gosto do decotado ligado ao ousar, que ela não queria por causa do marido chato e quadrado.

5. Na carta de Chico Buarque, encontramos diversos exemplos do uso da metalinguagem ou função metalingüística, que é um recurso para analisar a língua sob diferentes aspectos e fazer comentários sob diversos pontos de vista,

a) Considere a primeira opinião do Chico que foi destacada:


"Valsa Hippie" é um título forte. É bonito, mas pode parecer forçação de barra, com tudo o que há de hippie à venda por aí.

A palavra hippie aparece duas vezes. Em que ocorrência desse trecho ela caracteriza o uso da metalinguagem, isto é, em que momento está sendo usada para fazer menção a si própria como palavra? Justifique sua resposta.
Resposta: Na expressão "Valsa Hippie". Aí está sendo usada em referência a palavra em si mesma para comentar se é apropriada ou não como título da música. Tanto é assim que vem destacada em Itálico (letras inclinadas). Na segunda ocorrência, a palavra hippie refere-se a uma concepção de vida, a um modo de viver, Não se trata, pois, de metalinguagem. Note-se que não vem em itálico como a outra ocorrência.

b) Considere, agora, a segunda opinião destacada:


"Convidou-a pra rodar eu gosto muito, poeta, deixa ficar. Rodar, que é dar um passeio e é dançar”.

Nesse trecho, Chico Buarque não usou nem aspas nem itálico para destacar as palavras e expressões que marcam o uso da metalinguagem (ao menos de acordo com o jornal do qual a carta foi transcrita). Transcreva essa frase, colocando entre aspas as palavras e expressões usadas em função metalingüística.
Respost: "Convidou-a pra rodar" eu gosto muito, poeta, deixa ficar. "Rodar", que é "dar um passeio" e é "dançar".

c) Vamos, então, à terceira opinião destacada:


"Apesar de Orestes (vestido dourado é lindo), eu gosto do som vestido decotado. É gostoso cantar vestido decotado. [...] E eu também gosto do decotado ligado ao ousar, que ela não queria por causa do marido chato e quadrado”.

Reescreva o trecho, colocando entre aspas as partes em que foi usada a metalinguagem. Depois, responda: nessa passagem, que aspectos da língua Chico Buarque leva em consideração para preferir "vestido decotado" a "vestido dourado”?
Resposta: Apesar de Orestes ("vestido dourado" é lindo), eu gosto do som "vestido decotado". É gostoso cantar "vestido decotado”. [...] E eu também gosto do "decotado" ligado ao "ousar", que ela não queria por causa do marido chato e quadrado. O primeiro aspecto que ele leva em consideração é a sonoridade das palavras, argumentando que é gostoso cantar "vestido decotado". O segundo é a correlação de significado entre palavras: a relação entre "decotado" e "ousar" é mais coerente que a relação entre "dourado" e "ousar". O decote tem muito mais a ver com ousadia, comportamento que a mulher demonstrou nesse dia especial em que o marido chegou cheio de afeto e paixão.

Texto para os exercícios de 6 a 9


6. O que significam as palavras fast e food? Se você não sabe, procure num dicionário ou pergunte ao professor.
Resposta: Fast significa "firme, fixo, seguro, rápido, veloz". Food significa "alimentação, alimento, comida”.

7. Qual é a tradução literal (palavra por palavra) da expressão inglesa fast food?
Resposta: Literalmente significa "comida rápida", "alimentação rápida".

8. Qual é o sentido da expressão fast food no mundo da indústria da alimentação?
Resposta: Trata-se de um sistema de servir alimentos de rápido preparo, para consumo imediato, sem necessidade de grandes esperas por parte do consumidor.

9. Assinale a alternativa que contém um comentário inapropriado sobre o texto publicitário transcrito.
a) A Língua Portuguesa foi usada para fazer comentários sobre o sentido de palavras da língua inglesa, o que caracteriza o uso da metalinguagem.
b) A afirmação de que fast e food são palavras de sentidos opostos está querendo dizer que um alimento de qualidade não pode ser produzido apressadamente.
c) A metalinguagem é usada também em função conativa, pois busca persuadir o leitor de que a boa comida se encontra em restaurantes de tipo artesanal.
d) Por meio de um jogo de palavras, procura-se, com certo humor, desvalorizar a indústria de alimentos rápidos e valorizar os que são produzidos com cuidado e demora, como os do restaurante La Vecchia Cucina ("A Velha Cozinha").
e) Marcada por um bem-humorado jogo de palavras, a metalinguagem é usada para fazer propaganda dos alimentos produzidos em escala industrial.



Resposta: Letra E
Fonte: Análise de Textos

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...