SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

segunda-feira, 7 de abril de 2014

“TODA A APROXIMAÇÃO É UM CONFLITO”



Para sobreviver à natureza e suas intempéries, o homem precisou conviver. Entretanto, estar com o outro, muitas vezes, significa conflito. Seja este de ordem pessoal, familiar ou mesmo social. O premiado filme argentino "O Homem ao lado" de Gastón Duprat e Mariano Cohn nos apresenta uma história muito interessante, que nos permite refletir profundamente sobre o tema.

Estar no mundo é estar com alguém, o que nem sempre significa felicidade. Freud em “O Mal Estar na Civilização” relata que o sofrimento humano advém de três fontes: do poder da natureza sobre nós; da fragilidade de nossos corpos, pois adoecemos e morremos; e das regras sociais que nos ajustam ao mundo. Segundo o autor, de todos esses males, o último é o que nos traz maior sofrimento.

É o que parece sentir Leonardo, arquiteto, professor, burguês, personagem do filme argentino “O Homem ao Lado”. Leonardo tem que conviver com um vizinho menos “nobre” que ele, Victor. Um homem de meia idade, simples, pouco civilizado, segundo os moldes do protagonista rico da história.

O conflito emerge no momento em que Victor resolve abrir uma janela no muro que divide sua simples moradia com a sofisticada casa de Leonardo, única construção na América Latina projetada pelo famoso arquiteto francês Le Corbusier.

Do ponto de vista da lei, Victor jamais poderia abrir a janela. Contudo, a despeito da legalidade, ele o faz, pois diz precisar dela para trazer um “poquito de sol” para sua humilde casa. Aqui começa o embate.

A princípio, o diretor do filme parece nos chamar a atenção para as contradições sociais que vivemos nas grandes cidades, mais precisamente, parece apresentar uma crítica à sociedade burguesa. Muitos amantes de arte arquitetônica visitam Buenos Aires e ficam à espreita observando a casa de Leonardo, já que ela não é aberta à visitação. De sua moradia, Victor consegue ver quase todos os movimentos que ocorrem na residência de Leonardo. E o incômodo reside no fato de que os moradores da casa desenhada por Le Corbusier querem manter a privacidade. O que se torna um paradoxo, já que também desejam ser vistos. É o que acontece, de certa forma, a muitas celebridades no mundo atual.

Para além do conflito entre as classes sociais, chamo a atenção para a forma como Leonardo reage à situação. Ele tenta demover Victor da ideia da janela. Usa primeiramente o argumento da lei; depois, diz que sua mulher é quem não concorda; em seguida, fala que seu sogro, sócio na casa, é quem não aceita a construção da janela. Ele se esquiva o tempo todo do confronto direto com Victor. Este, sem dúvida, muito mais sedutor, envolvente e ameaçador, consegue intimidar Leonardo sem ter uma atitude explícita de agressão. Seu corpo fala. Suas expressões faciais e corporais comandam o processo. Assim, os argumentos civilizados de Leonardo não conseguem vencer as pressões de seu oponente.

Um misto de drama e de comédia. Aliás, o personagem Victor é simplesmente hilário. Um excelente filme para refletirmos sobre o quanto somos capazes de lidar com os diversos e possíveis conflitos que emergem em nossas vidas e sobre a forma como reagimos a eles. Afinal, “toda aproximação é um conflito”, já dizia o poeta português Fernando Pessoa, e, como seres civilizados, não temos como escapar da convivência. Numa afirmação a qual o próprio psicanalista chama de espantosa, Freud nos convoca à reflexão:“… nossa civilização é em grande parte responsável por nossa desgraça e que seríamos muito mais felizes se a abandonássemos e retornássemos às condições primitivas”.

Primitiva é a atitude de Leonardo no final surpreendente do filme, que nos traz desconforto e incômodo intensos. Quando assisti ao filme pela primeira vez, tive a sensação de que eu iria pular na tela e fazer alguma coisa. Isso é cinema de arte. Ele nos coloca em cena.

Referências

FREUD, S. O Mal Estar na Civilização – Obras Completas. Rio de Janeiro: Imago, 1974

O HOMEM AO LADO. Direção: Gastón Duprat, Mariano Cohn: Imovision, 2009. DVD (100 min)



© obvious: http://lounge.obviousmag.org/sala_de_cultura/2014/03/toda-a-aproximacao-e-um-conflito.html#ixzz2yDa1uHBR

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...