SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Viajando com Arte - Roteiro pelo Vêneto




A região do Vêneto no norte da Itália, é bastante familiar na serra Gaúcha, pois foi de lá que muitos de seus ancestrais emigraram no século XIX em busca de uma vida nova em terras distantes.

Eu me incluo neste passado com a diferença que meu pai emigrou mais recentemente, depois da segunda guerra mundial. Desde muito cedo fui familiarizada com os nomes das cidades, das comidas, lembro de quando comprávamos alcachofra e a moça do caixa invariavelmente tinha que perguntar o que era aquilo tão diferente…

É uma região muito bonita e interessante, e para aqueles que tem vontade de conhece-la, resolvi montar um roteiro básico onde inclui as coisas que são imperdíveis neste trajeto.

Nosso roteiro começa na cidade de Verona, imortalizada na tragédia deShakespeare que narra o romance impossível de Romeu e Julieta.

Saindo do Brasil até Milão, você pode optar alugar um carro no aeroporto e pegar a auto estrada, ou pegar um trem até Verona e lá alugar um carro.



Vista da cidade de Verona.

Dois dias em Verona dá para fazer muita coisa, não é uma cidade enorme, o centro histórico é lindo e bom de fazer a pé ou de bicicleta.

As principais atrações são a arena romana, um anfiteatro romano, construído no ano 30dc, que está muito bem conservado, e até hoje são apresentadas óperas e shows durante o verão.

Anfiteatro romano.

A casa de Julieta também atrai muitos turistas e apaixonados que deixam bilhetinhos de amor na entrada do túnel que leva até a famosa sacada.



A famosa sacada de Julieta.

O comércio de Verona é especialmente atraente, pois tem concentrados em uma única rua, que vai da Arena até a casa de Julieta, as melhores grifes italianas.

Passeie pela cidade, entre em suas igrejas, elas as vezes escondem raros tesouros.

Seguindo nosso roteiro , nossa próxima parada é a pequena cidade deSoave, onde videiras e um lindo castelo medieval no topo de uma colina, dominam a paisagem. Estacione o carro e vá caminhando até o castelo, vale a subida, pois de lá se tem uma vista de 360 graus de toda a região. E a cidadezinha nos dá a sensação de ter voltado nos tempos deTiciano e Tintoretto. Pare em algumas das tantas caves e bares para saborear um Spritz, bebida muito em moda por estas bandas.




Soave





E o Spritz, a bebida de verão italiana que já chegou no Brasil.

Depois de uns 45km chegamos na cidade de Vicenza, famosa pela suas feiras de ourivesaria. Vicenza é outra cidade que vale muito a pena conhecer, não é uma cidade que transborda de turistas como a maioria das cidades italianas.



Piazza del Signore -Vicenza Foto: Wikipédia

No centro tem a Pizza del Signore, com um café estrategicamente colocado de onde se pode ver a vida dos vicentinos passar.

Não deixe de visitar o, projeto do ilustre arquiteto renascentista Andrea Palladio. O teatro agenda apresentações até hoje e tem incrivelmente bem conservados cenários da sua criação.



Jardins do Teatro Olímpico.





A perfeita ilusão do cenário em perspectiva no Teatro Olímpico.

Passeie pela rua principal, a Corso Palladio, cheia de lojas, cafés, livrarias e muitos restaurantes nas adjacências. Antes de deixar Vicenza reserve um tempo para conhecer ao menos 2 das villas projetadas por Palladio, talvez a mais famosa seja a La Rotonda, um belíssimo exemplo da arquitetura renascentista, só confira os horários de visitação, que são poucos. Em Vicenza suba o Monte Bérico e almoçe no Restaurante Sette Santi, a comida é muito boa e você tem uma vista incrível da cidade.

Confira o site : http://www.settesanti.it/homepage.html





Villa La Rotonda, projeto de Andrea Palladio. Foto WikiArquitectura.

De Vicenza você tem algumas opções de passeios, se quiser um pouco do ar da montanha, minha sugestão é subir até Asiago, uma espécia de Gramado dos vicentinos, uma cidadezinha que guarda muito as características austríacas, e centro de esqui no inverno. A paisagem é muito bonita, no verão com aqueles gramados que parecem campos de golfe. O queijo famoso é o chamado grasso de Asiago. Esta região de montanhas nas proximidades de Vicenza eram muito utilizadas como estação de veraneio, assim como as pessoas se retiravam para as praias nos meses quentes de verão, muito vicentinos vinham para a montanha onde o ar era mais fresco e o contato com a natureza maior.

A familia do meu pai possuia uma pequena casa num vilarejo chamado Mazo, este lugar povoou a minha infância pois meu pai falava dele como fosse o paraíso sobre a terra. Nas suas memórias ligadas a Itália, este lugarzinho perdido é o que ocupa o lugar mais importante e ele fez questão que todos nós fossemos lá conhecer. É um lugar de onde sai uma linda trilha montanha acima, muito agreste, perfeito para um piquenique. Casa de verão em Mazo de tempos imemoriais…. não deixe de conhecer, é linda! Na descida de Asiago em direção a Vicenza não perca de parar na Birreria Sumano, além da cerveja produzida por eles, tem umas bruschettas de presunto de parma e parmiggiano de Asiago que são o acompanhamento perfeito.



Birreria Sumano





Casa de Mazo

Nossa próxima visita é a cidade universitária de Padova. Entre as atrações de Padova ou Pádua em Português está a Basílica de Santo Antônio, este mesmo o santo casamenteiro, além de você ir lá pedir uma ajudinha ao santo, você aprecia as 29 peças executadas por Donatello para o altar desta igreja.

Se você for devoto passe por trás do altar e lá está exposta a lingua(!) de Santo Antônio. É claro que qualquer roteiro no Vêneto que se preze deve incluir sua cidade mais famosa, Veneza, também conhecida por La Sereníssima.

Veneza capital de uma das repúblicas mais poderosas da Itália, a República de Veneza, onde existia um intenso comércio com o oriente, principalmente com Constantinopla e conserva até hoje em sua arquitetura influências bizantinas. Veneza que sedia umas das bienais de Arte mais prestigiadas e importantes do mundo.



Ponte do Rialto.

Se você já foi a Veneza certamente terá alguma queixa de mau atendimento de garçons, uma vez um garçom se negou a nos servir só saladas… essas coisas acontecem em Veneza, hordas de turistas?? Essa é uma constante em Veneza, mas não desanime, a cidade vale a pena estes transtornos. Meu conselho durma ao menos uma noite em Veneza, está provado que a grande maioria dos turistas vai apenas passar o dia e a noite você pode passear tranquilamente e se transportar no tempo quem sabe para clima da peça de Shakespeare, o mercador de Veneza! Que no filme atual com Al Pacino tão bem soube reproduzir a cidade dos tempos do gueto judeu.

Este post já está longo demais, espero que vocês tenham se inspirado e estejam planejando em incluir a região do Vêneto na sua próxima viagem para a Itália!!

Arrivederci!
Fonte: Viajando com Arte

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...